SUNNY: <b>Ulomma – A Casa da Beleza e outros contos.</b>, São Paulo: Ed. Paulinas, 2006: p. 14.
SUNNY: Ulomma – A Casa da Beleza e outros contos., São Paulo: Ed. Paulinas, 2006: p. 14.
Marca Itan-Adayan
papel_caderno

Trajes: da África ao Brasil - Eixo III: Brasil Colônia

Negros de ganho

A escravização das populações negras não se limitou ao campo, mas, na medida em que as cidades cresciam, as populações sofreram transformações em alguns dos seus aspectos tradicionais para se adaptar às condições impostas pela vida urbana. Os escravos e escravas de aluguel ou de ganho, como eram chamados, tornaram-se rapidamente a mão de obra essencial na cidade que crescia.

“No sistema de aluguel os serviços eram oferecidos pelos senhores ou senhoras, que estabeleciam o tipo de trabalho e as condições de pagamento, sendo comum ensinar alguma arte ou ofício, aumentando assim o valor recebido pelo aluguel. Já no sistema de ganho, característico da cidade, o ganhador ou ‘ganhadeira’ oferecia diretamente seu serviço pelas ruas da cidade, devendo prover o seu sustento e, ainda, levar para os senhores ou senhoras, parte do rendimento”.

“Vendia-se de tudo na cidade, era o samburá, carvão, café torrado, capim, leite, cestos e outros utensílios de palha. Os pregões dos vendedores, e vendedoras, com seus ritmos culturais ecoavam nas ruas da cidade marcando o espaço de cada um. O circular pela cidade, a escolha das ruas, os lugares de parada, os encontros e conflitos definiam as táticas de sobrevivência (...)”.

“Os serviços variavam de acordo com a idade, sexo, e ofício, assim como os valores que deveriam ser pagos aos proprietários. (...) Para conseguir pagar o devido e viver um pouco melhor, exercia-se dupla função. Era comum, nas imagens dos contemporâneos, a presença de negros carregadores enquanto aguardavam fregueses teciam palha, faziam esteira, e chapéus de palha preparavam rosários, vendedoras de doces enfeitando e fabricando correntes de arame para prender papagaio. Sobreviver na cidade e desfrutar de uma certa liberdade no cativeiro impunha ao ganhador ou ‘ganhadeira’ uma verdadeira luta contra as doenças freqüentes em decorrência das más condições de vida, alimentação inadequada, habitações precárias”. (Tramas femininas no cotidiano da escravidão: Marilene Rosa Nogueira da Silva in www.unb.br)

Não deixe de ver também, Eixo III: Brasil Colônia

Prancha Negros de Ganho - frente e verso:

Negros de Ganho

 

Negros de Ganho